domingo, setembro 25, 2005

Foi uma mulher que o disse...

"Não peço explicações, e também não sei dar muitas a meu respeito. No máximo digo coisas banais a fim de apaziguar os ânimos de quem, por contingência ou afeto, precisa conviver comigo."

"Com relação às mulheres, tampouco perco meu tempo a tentar entendê-las, não porque as ache complexas, mas, pelo contrário, por sua reta simplicidade. Uma mulher é um ser biologicamente concebido para a reprodução, e todo seu temperamento, idiossincrasias, e demais questões que já encheram de palavras tolas livros em demasia, não passam de um cabedal de hormônios que precisam se articular com o carácter racional da espécie humana."

Lilian Dias "E Esta Lacuna é Tudo" - Ficçções

segunda-feira, setembro 19, 2005

"O primeiro a ser rei foi um soldado com sorte."

"O povo que vive à beira do lago costuma dizer que nunca nos conheceremos a nós mesmos enquanto não conhecermos outra pessoa."

"O que realmente nos diferencia do resto do mundo vivo é a consciência que temos da nossa imagem."

"O povo que vive à beira do lago costuma dizer que só depois de nos enganarmos a nós próprios é que conseguimos enganar os outros."

"O povo que vive à beira do lago costuma dizer que, a longo prazo, a vida é uma doença terminal como qualquer outra."

Clara Pinto Correia "Os Mensageiros Secundários"

domingo, setembro 18, 2005

"Acabava de ser contaminado pelo efeito que as mulheres têm sobre os homens."

"Gosto de pensar que as coincidências são o truque que Deus inventou para se manter anónimo."

"E aprendi bastante depressa que os homens nunca devem dizer o que querem dizer, porque não é isso que as mulheres querem que a gente diga."

"...é no fundo dos nossos instintos que podemos encontrar chaves para os nossos códigos."

"O povo que vive à beira do lago costuma dizer que é preciso já ter sido uma mulher para se poder ser uma pessoa."

"Está o tipo de dia que nos obriga a ver com excessiva claridade tudo o que não funciona bem na nossa vida."

Clara Pinto Correia "Os Mensageiros Secundários"

domingo, setembro 11, 2005

"...as horas têm o sabor do nada."

"Tudo nele fora fugaz e precário, e vivera separado das coisas porque assim se sentia mais seguro."

"A pequena distância infinita que vai do tempo que passou ao tempo que resta."

"As coisas acontecem simplesmente assim: de repente apercebemo-nos de que todos os outros são mais novos do que nós, e que a nossa história é um equivoco excessivo, ostensivamente imperfeita e emocionalmente patética."

"Nem sequer reparamos naqueles que têm a mesma idade; não reparamos porque não queremos, e quando brevemente os fixamos pensamos: são mais velhos do que eu, ou então: estou mais bem conservado."

Baptista Bastos "No Interior da Tua Ausência"

sábado, setembro 10, 2005

Conhecer...

"Às vezes, para ver, temos de parar e olhar."

"Por vezes, é dificil estar com as pessoas de quem gostamos. Depois vivemos no interior da sua ausência."

"O seu silêncio disse-me o que eu queria ouvir."

"Mas às vezes sou tão estranho que nem me conheço a mim próprio, o que me leva a proceder de um modo insensato."

"Servimo-nos repetidamente de muitos disfarces. E os disfarces permitem-nos fazer quase tudo o que nos está interdito em ocasiões normais."

"Por vezes, fingiam dormir: ambos sabiam que fingiam, ambos compreendiam que assim devia ser porque nada tinham para dizer um ao outro."

"Um homem tem que a cara que Deus lhe deu até ao quarenta anos; depois, tem a cara que merece."

"...conhecermo-nos pode ser bom ou mau, mas é sempre perigoso."

Baptista Bastos "No Interior da Tua Ausência"

domingo, setembro 04, 2005

Nem mais...

"...menina séria coloca os olhos na pedra da calçada."

"Mas só raramente a felicidade está onde julgamos poder encontrá-la."

"...nunca fui amado, ou fui e não dei por isso, ou fui e deitei tudo a perder, por desatenção e descaso."

"Houve um momento em que esperei, desejei ou temi que ela voltasse para trás.

"Viver a dizer a verdade requer sacrificios terriveis."

"...no abstracto desespero de quem procura sem saber o quê; quando somos infelizes dói-nos o corpo todo, e sentimos a falta daquilo que nunca tivemos."

"E o tempo foi passando, pés de feltro, fere-nos e vai-nos matando. Não é a vida que continua: é a morte que não pára."

"Nós vivemos sempre nos sitios onde fomos felizes e eu nunca fui feliz, por incapacidade e inépcia."

"Os locais de encontro desapareceram, as pessoas também; os locais são feitos pela presença das pessoas, e as pessoas deixaram de estar. A cidade está repleta de promessas por cumprir."

"Cada época morre com os que a viveram."

"...com regras inflexiveis, uma das quais a de fingir que as pessoas estão muito animadas e divertidas."

"O que deixamos para trás acaba por nos agarrar."

"As mulheres dizem sempre, mesmo quando permanecem caladas; dizem com o silêncio."

"O perdão obtêm-se sempre de uma mulher, nunca de um homem."

Baptista Bastos "No Interior da Tua Ausência"

sábado, setembro 03, 2005

Percursos

"Este verão correu muito depressa e o passado andou atrás de mim."

"Sou um homem a quem faltou muita coisa, sobretudo a coragem."

"Arrependeu-se imediatamente de ter dito aquela frase vaga e tola. Mas as frases vagas e tolas só acontecem nos momentos cegos."

"A posteridade é uma puta de memória curta."

"Quando não souberes para onde vais, vira-te para ver de onde vens."

"Quase sempre. é tarde para tudo; quase sempre é tarde para mudar qualquer coisa, porque a felicidade ou a alegria dependem de nós, mas nós somos demasiadamente preguiçosos ou excessivamente resignados para alterar o rumo das coisas."

Baptista Bastos "No Interior Da Tua Ausência"