sexta-feira, maio 30, 2008

Miopias...

“Algo de parecido acontece às pessoas, saber das coisas mais distantes e estar cego para o que está mais próximo.”

Pedro Paixão “Portokyoto”

Porque...

“Foi então que soube que para refazer um laço são precisas duas mãos.”

Pedro Paixão “Portokyoto”

Mas isso cura-se.... sempre...

“Porque sentia que, tal como eu, ela tinha destruído em si a possibilidade de voltar a amar. O que me afligiu, quando pensei nisso, foi ela tê-lo conseguido com metade da minha idade.”

Pedro Paixão “Portokyoto”

Até eu, no mais fundo do meu cinismo, às vezes me surpreendo...

“Nunca deixará de ser espantoso como uma coisa tão leve, a que se chama esperança, pode encher uma alma.”

Pedro Paixão “Portokyoto”

Um dia normal, portanto...

“Não era não querer, era não conseguir. Por onde quer que começasse, confundir-me-ia a mim próprio.”

Pedro Paixão “Portokyoto”

quarta-feira, maio 28, 2008

Compensações...

“A única explicação para que a mais bela das raparigas se tivesse interessado por mim era a de que só as feias precisam da beleza que não têm.”

Pedro Paixão “Portokyoto”

terça-feira, maio 27, 2008

Motivo

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou se desfaço,
- Não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno e asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
- mais nada.

Cecília Meireles

domingo, maio 25, 2008

Obrigado a todos os que fizeram de ontem um dia bom... e obrigado por estes versos...

Passem-se dias, horas, meses, anos
Amadureçam as ilusões da vida
Prossiga ela sempre dividida
Entre compensações e desenganos.

Faça-se a carne mais envelhecida
Diminuam os bens, cresçam os danos
Vença o ideal de andar caminhos planos
Melhor que levar tudo de vencida.

Queira-se antes ventura que aventura
À medida que a têmpora embranquece
E fica tenra a fibra que era dura.

E eu te direi: amiga minha, esquece...
Que grande é este amor meu de criatura
Que vê envelhecer e não envelhece.

Vinicius de Moraes


"Escreves nas tábuas do sonho, as viagens possíveis da ilusão.
A representação no perímetro transitável das palavras á boca
De cena. Experimentas um poema sobre os cabelos. Lanças,
Ao acaso, os discursos, o riso, as sombras de camarins. Os
Fantasmas sem visita guiada. Acendes as pequenas certezas
Dos signos, nos cenários, sem aplauso ou comoção. Acendes
Os caminhos do voo. No rumor do intervalo suspendes os
Actos. O sono na caixa autista do ponto. Suspendes os passos
Da velhinha inglesa. Observas por detrás do pano os séculos
Crescendo em nós. Sentes-te, então, seguramente, Actor."
José Laurindo de Góis

quinta-feira, maio 22, 2008

Hoje não foi um bom dia... e como precisava de desabafar com alguém... nem me atrevi...

Look at me dreaming of you
All I could hope is to have you
To have you walking with me
Laughing so in love, we two
Almost drunkenly
I did imbibe of this
Fantasy of you and me

Was I a fool to think?
The way you looked at me
I swear you did
But you looked away too quick
Was I a fool, was I a fool to think
That you would take me home
As if I was yours
Was I a fool to think at all?

I've grown tired of love
You are the trouble with me
I watch you walk right by
I smile, you do not notice me
Treat me recklessly
All you do is toss me pennies out
But the silence in me is screaming
Won't you come and get me?

Was I a fool to think?
The way you looked at me
I swear you did
But you looked away too quick
Was I a fool, was I a fool to think
That you would take me home
As if I was yours
Was I a fool to think at all?

Was I a fool to think?
The way you looked at me
I swear you did
But you looked away too quick
Was I a fool, was I a fool to think
That you would take me home
As if I was yours
Was I a fool to think at all?

You make a mess of me here
I dance a thousand steps for you
If you say yes to me
I'll be whatever gets you through

You make a mess of me here (was I a fool?)
I dance a thousand steps for you (was I a fool?)
Was I a fool, was I a fool to think?
Am I a fool, am I a fool for you?

Dave Mathews Band "Fool to Think"

terça-feira, maio 20, 2008

A vida também...

“A viagem termina quando encerramos as nossas fronteiras interiores.”

Mia Couto “O outro pé da sereia”

Pilar devagarinho...

“(…) a vontade de matar nasce das miudezas do dia-a-dia, desse amarelecer sem história em que se convertem as nossas vidas. Não são os grandes traumas que fabricam as grandes maldades. São, sim, as miúdas arrelias do quotidiano, esse silencioso pilão que vai esmoendo a esperança, grão a grão.”

Mia Couto “O outro pé da sereia”

sábado, maio 17, 2008

Dos desmemoriados é o reino dos céus...

“Quem não tem passado não pode ser responsabilizado. O que se perde em amnésia, ganha-se em amnistia.”

Mia Couto “O outro pé da sereia”

...

“Os mortos não querem flores, mas companhia.”
Mia Couto “O outro pé da sereia”

Tell me lies...

“O problema da solidão é que não temos ninguém a quem mentir.”

Mia Couto “O outro pé da sereia”

quinta-feira, maio 15, 2008

Eu já desconfiava...

“Agora, ela sabia: um livro é uma canoa. (…) Tivesse livros e ela faria a travessia para o outro lado do mundo, para o outro lado de si mesma.”

Mia Couto “O outro pé da sereia”

Porque me disseram que os homens tratam os carros como se tratam a si mesmos...

“Constança desconfiava do marido sempre que ele se preocupava em cortar as unhas dos pés. A sua lógica era simples: só cuida das partes escondidas quem as vai mostrar a alguém.”

Mia Couto “O outro pé da sereia”

Dizer alguma coisa é, às vezes, ficar calado...

“Quando se faz amor assim, de paixão total, fica-se longe das palavras. O encantamento é uma casa que tem o silêncio por tecto.”

Mia Couto “O outro pé da sereia”

quarta-feira, maio 14, 2008

Waiting for the black to replace my blue...

I lie in an early bed, thinking late thoughts
Waiting for the black to replace my blue
I do not struggle in your web because it was my aim to get caught
But daddy longlegs, I feel that Im finally growing weary
Of waiting to be consumed by you

Give me the first taste, let it begin heaven cannot wait
Forever
Darling, just start the chase - Ill let you win but you must
Make the endeavor

Oh, your love give me a heart contusion
Adagio breezes fill my skin with sudden red
Your hungry flirt borders intrusion
Im building memories on things we have not said
Full is not heavy as empty, not nearly my love, not nearly my love, not
Nearly

Give me the first taste, let it begin heaven cannot wait
Forever
Darling, just start the chase - Ill let you win, but you must
Make the endeavor

Fiona Apple - First Taste

Michelle Pfeiffer a deliciar-me... o filme que a fez cantar já foi aqui referido... mais um dos que amo incondicionalmente...

My funny valentine
Sweet comic valentine
You make me smile with my heart
Your looks are laughable
Unphotographable
Yet youre my favourite work of art

Is your figure less than greek
Is your mouth a little weak
When you open it to speak
Are you smart?

But dont change a hair for me
Not if you care for me
Stay little valentine stay
Each day is valentines day

Is your figure less than greek
Is your mouth a little weak
When you open it to speak
Are you smart?

But dont you change one hair for me
Not if you care for me
Stay little valentine stay
Each day is valentines day

rodgers/hart "My funny valentine"

segunda-feira, maio 12, 2008

Os relvados ficaram menos verdes...

Um dos jogadores que mais me deliciaram nos últimos anos (em que o futebol se tornou um desporto cada vez mais mecanizado e pouco entusiasmante) disse ontem adeus... é pena, os que gostam da bola ficam com menos motivos para ver um jogo para além dos desejos clubistas. Mas também na despedida mostrou porque sempre foi mais do que um gajo que dá pontapés no esférico. Um senhor, uma pessoa inteligente, digna, que nunca se pôs em bicos de pés, nunca quis ser melhor do que ninguém, um sinónimo de humildade e carácter. Por todos estes anos... OBRIGADO RUI COSTA...

sábado, maio 10, 2008

Nostalgias...

Crazy ... I'm crazy for feelin' so lonely
I'm crazy ... crazy for feelin' so blue
I knew you'd love me as long as you wanted,
And then someday, you'd leave me for somebody new

Worry ... why do I let myself worry?
Wonderin' ... what in the world did I do?
Oh, crazy ... for thinkin' that my love could hold you
I'm crazy for tryin', and crazy for cryin'
And I'm crazy for lovin' you

Crazy ... for thinkin' that my love could hold you
I'm crazy for tryin', and crazy for cryin'
And I'm crazy for lovin' you

Willie Nelson "Crazy"

terça-feira, maio 06, 2008

O nosso saber...

“Mas ela sabia coisas tão fundas, que nem chegava a entendê-las bem. Sabia, por exemplo, que não há conhecer sem lembrar. Mas o conhecer é um engano. E o lembrar é uma mentira.”

Mia Couto “O outro pé da sereia”

E não espera por nada nem ninguém...

“(…) o tempo urge, o corpo tem prazos, a vida tem pressa.”

Mia Couto “O outro pé da sereia”

quinta-feira, maio 01, 2008

Nem o resto do corpo...

“As mãos não são nada sem o coração.”

Mia Couto “O outro pé da sereia”